O Prémio Museu Europeu do Ano (EMYA) distingue qualidade, criatividade e inovação. O troféu – a escultura “O Ovo”, do artista britânico Henry Moore – fica com o museu vencedor durante um ano.

O júri justificou a distinção do Museu da História dos Judeus Polacos (POLIN) “pelo “edifício único situado no local onde existiu um vibrante bairro judeu e, mais tarde, o gueto de Varsóvia”.

“O POLIN apresenta mil anos de história dos judeus polacos e do seu contributo para a região e para a Europa, da instalação inicial ao momento presente”, sublinha. No comunicado, o EMYA destaca ainda que, sendo “a longa história partilhada do povo judeu e de outros povos desta região do mundo” uma história “de coexistência continuamente negociada tanto através de conflito como de cooperação, integração e assimilação”, o POLIN “servirá agora para públicos muito vastos e muito diversos” para mostrar isso mesmo.

Será “um local cativante para enfrentar e analisar as perpetuamente relevantes questões de como uma coexistência, por mais preocupante que seja, pode transfigurar-se numa rutura absoluta, até à quase erradicação de um povo inteiro e destruição de uma cultura”, lê-se no comunicado.

(in jornal de Negócios)