A agricultura tradicional está ameaçada em várias frentes. Alterações climáticas, terras menos férteis e cada vez mais escassas não auguram nada de bom. É por esse motivo que há já quem esteja a apostar fortemente nas hortas verticais como o modelo hortícola do futuro.

Não faltam muitos anos para o modelo das hortas verticais se generalizar e passar a ser a regra à escala mundial. Essa é a convicção da Plenty, uma empresa sediada em Espanha que quer apostar já no próximo ano neste modelo, para produção em grande escala.
A agricultura convencional representa 70% do consumo mundial de água, enquanto que as hortas de Plenty usam 1% da água que seria gasta numa exploração hortícola tradicional. O aumento da população e a escassez mundial de recursos vão forçar-nos a reinventar a produção agrícola, denuncia Matt Barnard, co-fundador da Plenty.
Com esta convicção a empresa conseguiu para o seu projecto de expansão um investimento de 200 milhões de dólares do banco japonês Softbank. Para distribuir os seus produtos pelo mundo inteiro foi também firmado um contrato com a Amazon, que os venderá online.
Mas a Plenty não é a única a posicionar-se assim no mercado. A empresa austríaca Ponix Systems já está a apostar na venda online de hortas de parede domésticas, uma iniciativa que lançou em crowdfunding e que em apenas seis horas alcançou a sua meta – 50 mil euros.
(In site – Green Savers)

De acordo com a Lei nº 144/2015, em caso de litígio, os consumidores podem recorrer ao Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo de Lisboa, Rua dos Douradores, 108, 2.º, 1100-207 Lisboa. Tel.: 218807030 - Fax: 218807038, E-mail: juridico@centroarbitragemlisboa.pt, Site: www.centroarbitragemlisboa.pt

EAD © 2018. All rights reserved. Termos e condições